O que é Tantra?

O Tantra é uma filosofia prática e comportamental que surgiu onde hoje conhecemos como Índia, há cerca de 8000 anos. O Tantra clássico é um caminho meditativo e de conexão espiritual. Seus ensinamentos são ritualísticos, devocionais, sensoriais, matriarcais, desrepressores, naturalistas, tribais e pouco se encontra sobre sexualidade em suas escrituras. Ao longo dos anos, ocorreu uma propagação desses ensinamentos e, com isso, uma fusão com diversas outras correntes filosóficas e religiosas, tais como o Yoga, o Budismo, o Hinduísmo, o Vedanta, entre outras.

A palavra Tantra significa “teia”, “tecido” ou “trama”, proporcionando o sentido de unidade que se busca com suas práticas. Em sua essência, a filosofia tântrica busca proporcionar aos seus adeptos uma vida plena, trabalhando a união entre a mente, o corpo e o espírito – junção essa que leva o indivíduo a uma forte conexão com a espiritualidade, alcançando o estado transcendental da união dos princípios masculino e feminino.
Quando, por volta dos anos 60, principalmente por influência do mestre indiano Osho, o Tantra se populariza no ocidente, percebeu-se que o nível de repressão sexual dos indivíduos era enorme, que o ritmo de vida das pessoas era muito agitada e pouco contato se tinha com o corpo, com a sexualidade e com a espiritualidade. Assim, o movimento se fundiu a outras linhas terapêuticas, como a bioenergética, o rebirthing e a primal, se distanciando de seus ensinamentos clássicos e se readaptando às exigências do mundo moderno. Esse movimento recebeu o nome de NeoTantra.

Osho foi quem inseriu um caráter terapêutico as práticas, sendo elaboradas para o modo de vida ocidental, se voltaram para a o contato com o corpo e com a sexualidade sagrada principalmente através de meditações, massagens e técnicas de respiração. Nessas práticas meditativas que trabalham o corpo sensorialmente, busca-se o despertar energético (Prana e Kundalini Shakti) e a expansão da consciência.


Atualmente o Tantra, com suas diversas releituras e modificações, enfrenta muitos preconceitos, tendo sido deturpado por diversos grupos de pessoas que o caracterizaram como uma prática de perversão sexual – afastando totalmente essa filosofia de seus princípios primordiais.


As práticas tântricas, quando realizadas de maneira correta e alinhada aos seus princípios, permitem ampliar a capacidade energética de seus praticantes, proporcionando um novo e expandido estado de consciência. As experiências fazem com que a pessoa vivencie um sentimento de unidade com o todo, ampliando seus limites, entrando em contato com o âmago profundo de seu ser, experienciando um estado de intensa conexão e amor consigo mesmo e com o mundo ao seu redor.

Texto Equipe Aos Caminhos, Ilumina.

Leia mais:

​© 2023 por Aos Caminhos. Todos os direitos reservados.